• SINDEPRESTEM e FENASERHTT recebem amigos e parceiros em Almoço de Confraternização
  • FENASERHTT E SINDEPRESTEM comemoram mudança na cobrança de PIS e COFINS no Trabalho Temporário
  • Contratação de empresa de Trabalho Temporário gera crédito de PIS E COFINS - Posicionamento Receita Federal
  • REFORMA TRABALHISTA – LEI N. 13.467/17 - Com a Reforma Trabalhista em vigor, atenção para estas orientações
  • Jornal Fenaserhtt
  • Sindeprestem patrocina 37º FÓRUM GERH
  • BRASIL RETOMA POTENCIAL DE INVESTIMENTO COM NOVAS LEIS TRABALHISTAS
  • SETOR DE SERVIÇOS ALERTA CASA CIVIL E MINISTÉRIO DO TRABALHO  PARA INTERFERÊNCIAS NA REFORMA TRABALHISTA
  • FENASERHTT diz ser contra MP da Reforma Trabalhista em Audiência com Ministro Ronaldo Nogueira
  • comunicado_vander
  • fórum cebrasse
  • Wec50anos
  • DECISÃO FAVORÁVEL : FENASERHTT CONSEGUE EXCLUSÃO DO ISS DA BASE DE CÁLCULO DE PIS/COFINS
  • 2910x450 Banner Bombeiro Civil Cartilha Sindeprestem
  • Sindeprestem Institucional
  • Benefício Social Familiar
  • 26anos Novo

22/10/2017 | Após Dia da Criança movimentado, varejistas esperam Natal próspero - Folha de S.Paulo

As demonstrações de retomada da economia observadas no primeiro semestre deixaram a indústria e o comércio com a esperança de que 2017 terá um Natal mais próspero. Ainda é cedo para fazer previsões de como serão as vendas no fim do ano, mas os primeiros indicadores sinalizam melhora.

O fluxo de consumidores que visitaram os bairros do comércio popular paulistano durante o mais recente feriado, de 12 de outubro, foi visto por lojistas como prenúncio.

As vendas do comércio para o Dia da Criança subiram 2,7% sobre igual período de 2016, segundo a Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) –após dois anos de quedas consecutivas.

É na semana do 12 de outubro que as estimativas para o fim do ano ficam mais firmes, porque é quando os lojistas de outras regiões viajam a São Paulo para começar a se abastecer dos produtos que revenderão no Natal.

"Foi o melhor feriado prolongado de vendas no ano", diz Nelson Tranquez, presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas do Bom Retiro, bairro que concentra o atacado de moda em São Paulo.

O sentimento geral já é de otimismo, afirma Emílio Alfieri, economista da ACSP (Associação Comercial de São Paulo), usando como indício a alta de sete pontos no índice de confiança da entidade em setembro.

A sacoleira Márcia Turu, que revende na Baixada Santista as roupas que compra no atacado do Bom Retiro, passeava de sacolas cheias pelo bairro na sexta-feira (13).

"Perdi metade das vendas desde 2015, mas agora as clientes estão voltando a fazer pedidos. Estou com fé", diz.

Nos atacadistas do Brás, a revendedora Esmeralda Rodrigues foi buscar produtos para abastecer o estoque de Natal de sua pequena loja em Mogi das Cruzes (SP). "Comprei tanto que quebrei o carrinho que eu trouxe para levar os produtos", afirma.

LEMBRANCINHA

O que justifica a animação, segundo Luís Augusto Ildefonso, da Alshop (associação de lojistas de shoppings), são sinais como a queda da inflação e juros menores ao longo do ano. Mas o desemprego inspira cautela e a perspectiva de que este fim de ano ainda não vai superar o rótulo de "Natal das lembrancinhas" que marcou 2015 e 2016.

"O gasto médio diminuiu muito nos últimos anos. Ainda não esperamos uma mudança significativa nisso", diz Gustavo Dedivitis, presidente da Fevabrás (que reúne atacadistas e varejistas do comércio popular do Brás).

Ildefonso diz que não espera resultados excepcionais, "mas, como os dois últimos anos foram terríveis, o que vier agora será um alento".

No ano passado, a Alshop registrou queda de 9,1% no total de vendas em shoppings, descontada a inflação. O tombo veio sobre um 2015 também negativo, que recuou 8,7% em termos reais.

Varejistas ressalvam que o efeito positivo do saque das contas inativas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) já ficou para trás.

A contratação de temporários para vagas como vendedor, estoquista e caixa antecipa o cenário otimista para o Natal. Segundo a Asserttem (Associação Brasileira do Trabalho Temporário), devem ser abertas 115 mil vagas temporárias em dezembro, número 5,5% superior ao registrado no fim de 2016.

A pesquisa mensal do comércio de agosto divulgada pelo IBGE mostrou crescimento de 3,6% nas vendas do varejo em relação ao mesmo mês do ano passado. Na comparação com julho, houve um recuo de 0,5%, que foi visto mais como acomodação do que como reversão de tendência do varejo.

Fábio Pina, economista da FecomercioSP, pondera que a recuperação total não será imediata. "Apesar de estar melhorando, a crise foi muito forte. Para muitos empresários, melhorar significa voltar ao maior patamar possível. Isso não vai acontecer já. Levará anos", afirma. 

Coffee News

Home Logo01
Home Logo02
Home Logo03
Home Logo04
Catho
Up Plan Logo 02