• Sindeprestem patrocina 37º FÓRUM GERH
  • BRASIL RETOMA POTENCIAL DE INVESTIMENTO COM NOVAS LEIS TRABALHISTAS
  • LANÇAMENTO DO LIVRO “TERCEIRIZAÇÃO, UMA ABORDAGEM ESTRATÉGICA” REÚNE CONVIDADOS EM NOITE DE AUTÓGRAFOS
  • SETOR DE SERVIÇOS ALERTA CASA CIVIL E MINISTÉRIO DO TRABALHO  PARA INTERFERÊNCIAS NA REFORMA TRABALHISTA
  • HIGIEXPO 2017
  • Download Cartilha sobre Lei 13.429/2017
  • Banner Homenagem Relator
  • FENASERHTT diz ser contra MP da Reforma Trabalhista em Audiência com Ministro Ronaldo Nogueira
  • LEI13467
  • comunicado_vander
  • Palestra Explicativa sobre a Medida Provisória nº 783/2017
  • fórum cebrasse
  • Vander Morales representa Brasil em palestra no Uruguai
  • Wec50anos
  • DECISÃO FAVORÁVEL : FENASERHTT CONSEGUE EXCLUSÃO DO ISS DA BASE DE CÁLCULO DE PIS/COFINS
  • 2910x450 Banner Bombeiro Civil Cartilha Sindeprestem
  • Pl 4302 1998 Agora E Lei 13429 2017
  • Sindeprestem Institucional
  • Benefício Social Familiar
  • 26anos Novo

18/09/2017 | ‘Com retomada da economia, Brasil está ficando mais bonito na foto’ - O Estado de S.Paulo

Em meio a um cenário de possível retomada da economia brasileira, o Santander está com projeções otimistas para o País. Jean Pierre Dupui, vice-presidente executivo do banco, diz que “o Brasil começa a ficar bonito na foto”, depois de um período grande de recessão. “Há espaço para entrada de mais investidores no Brasil e o mercado de dívidas (debêntures) vai crescer em relação ao ano passado”, disse. Com a “invasão” de companhias chinesas no Brasil, Dupui está se adaptando à nova realidade e também começou a fazer um curso de mandarim.

O sr. acredita que o pior momento da recessão já passou?

O pior já passou. Não dá para dizer que temos um crescimento consolidado, mas o Brasil está ficando mais bonito na foto. Os mercados de capitais e de dívidas, além dos movimentos de fusões e aquisições, mostram que o Brasil voltou a ficar atraente.

Nos últimos dias, empresas chinesas anunciaram importantes aquisições no País. Esse movimento continuará? 

A movimentação de investidores chineses continuará intensa, sobretudo em infraestrutura (incluindo energia). Há uma demanda natural de expansão em infraestrutura no Brasil. Esse é um setor que tem geração de caixa estável, com receita previsível.

Mas não é um setor com marco regulatório que inibe investimentos?

O marco regulatório do setor de infraestrutura não é um impeditivo. O Brasil tem tamanho, oportunidade (de negócio) e retorno (do investimento).

O sr. vê sinais claros de retomada de crescimento para o País?

Está cada vez mais clara essa tendência. Se consolidada a atual doutrina econômica, independentemente do candidato para as eleições de 2018, teremos a volta do crescimento. O banco, por exemplo, retomou os financiamentos imobiliários, movimento que não se via há muito tempo, o que é um bom sinal.

Quais os setores que estão atraindo maiores investimentos?

Além de infraestrutura, sobretudo energia, os setores de agronegócio e educação estão atraindo investimentos não só de chineses, mas de vários grupos estrangeiros.

Quais são os principais indicadores?

Somente o banco tem 25 mandatos de emissão de bonds (dívidas) no mercado de capitais local. Para 2017, deve movimentar cerca de R$ 50 bilhões (mercado local), ante R$ 35 bilhões em 2016. O mercado de título internacional deve atingir US$ 30 bilhões. Até julho, foram US$ 17 bilhões. Em 2016, ficou em torno de US$ 20 bilhões. 

 

Coffee News

Home Logo01
Home Logo02
Home Logo03
Home Logo04
Catho
Up Plan Logo 02